Instinto Falho


intui_o.jpg

Um paralelo de duas jovens promessas do futebol mundial com histórias bem distintas

por Oliver Seitz, via Universidade do Futebol

Aos 15 anos de idade, Neymar da Silva Santos Júnior já era apontado como uma grande promessa do futebol brasileiro. Destaque das categorias de base do Santos, recebia salário, comida em roupa lavada em sua cobertura, que – ao que tudo indica – ganhou com treze anos.

Durante seu período na base do Santos, Neymar foi convocado diversas vezes para a seleção brasileira de base e com 17 anos estreou no time profissional do Santos. Demorou pouco para Neymar começar a se destacar. No seu primeiro ano como profissional, ainda aos 17, foi eleito o melhor jogador do campeonato paulista.

No ano seguinte, em julho de 2010, aos 18 anos, foi convocado para a seleção brasileira adulta. Apontado, e apontando-se, como a grande revelação do futebol brasileiro nos últimos anos, recebeu uma proposta de 35 milhões de Euros do Chelsea em agosto de 2010 e recusou.

Em setembro do mesmo ano, envolveu-se em uma série de polêmicas que culminou com ofensas públicas ao seu técnico durante uma partida, que acabou gerando a demissão do mesmo técnico. Na convocação seguinte para a seleção brasileira adulta, seu nome não apareceu.

Aos 15 de idade, Tiago Manuel Dias Correia perambulava livremente pelos becos de Lisboa, sem lá grandes perspectivas para vida. Abandonado pelos pais desde muito cedo, havia sido inicialmente cuidado pela vó, mas uma ordem judicial o obrigou a se mudar para um abrigo administrado por uma igreja na periferia lisbonense aos doze anos de idade. Logo depois da mudança, começou a treinar em um clube amador das redondezas, mas sem despertar maiores atenções.

Aos 19 anos, foi convidado, junto com outros sete colegas de abrigo, a integrar o time da CAIS, uma ONG portuguesa que trabalha na melhoria das condições de vida de pessoas sem-teto, que viajaria para a Bósnia para participar do campeonato mundial de futebol de rua. Em seis jogos, Tiago marcou 40 gols. Logo em seguida, quase foi convocado para participar do campeonato mundial dos sem-teto, mas, no mesmo ano, acabou indo parar no Estrela da Amadora, clube da segunda divisão portuguesa.

Depois de uma temporada em que marcou quatro gols em 26 jogos, Tiago assinou de graça com o Vitória Guimarães, uma vez que o Estrela não pagou seus salários. No Vitória Guimarães, Tiago não jogou nem uma partida oficial sequer. Depois de uma impressionante pré-temporada em que marcou cinco gols em seis partidas, Tiago mudou de time.

Ontem, Tiago, o Bebé, fez sua estréia oficial com a camisa do Manchester United, que pagou mais de sete milhões de libras para contratar um jogador que a pouco mais de um ano estava disputando um torneio de futebol de rua no time de uma ONG que cuida de sem-teto.

Neymar pode se tornar o maior jogador brasileiro de todos os tempos. Bebé pode se tornar uma aposta romântica, mas fracassada de Alex Ferguson. Mas Neymar pode se tornar mais uma promessa brasileira que não vingou e Bebé pode vir a ser o maior jogador português da história. Ninguém sabe dizer ao certo. A complexidade humana impede qualquer prognóstico razoável sobre o que torna um jogador bom ou ruim. É tudo baseado em percepções intuitivas que nos levam a determinar fatos e ações. Mas a nossa intuição é bastante falha. Um ano e meio atrás, Neymar morava em uma cobertura e Bebé morava em um abrigo para sem-teto. Quem consegue prever qual será a situação um ano e meio pra frente?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s